Polícia Civil da PB deve transferir miliciano Almir Rogério preso em Queimadas para Rio, mas antes apura atuação no Estado

Embora anunciado pela mídia do Rio de Janeiro como mandante da morte de Marielle, o miliciano Almir Rogério preso em Queimadas/PB está sendo investigado sobre qual o tamanho de seu envolvimento com atos criminosos na Paraíba a partir de milícias foragidas do Rio nos últimos tempos, pois há fortes indícios, inclusive de arrombamento de agências bancárias.

Foi o que informou à reportagem do Portal WSCOM, o secretário de Segurança Pública da Paraíba, Jean Francisco, observando que embora já esteja confirmada a participação de Almir Rogério em lista imensa de crimes no Rio de Janeiro, a Polícia paraibana não pode ainda atestar que ele é o mandante de Marielle Franco por não dispor de acesso ao rumoroso processo.

– Estamos tomando providências para apurar a atuação dele na Paraíba como miliciano foragido porque há registro de muitos deles atuando na Paraíba, mas quanto a condição de mandante são os veículos de comunicação que têm feito essas ilações, entretanto não temos como assegurar – comentou.

TRANSFERÊNCIA – Além de investigar os crimes cometidos por ele na Paraíba, a Polícia Civil admite que deve tomar providências para transferência de Almir Rogério ao Rio de Janeiro onde ele tem muitos crimes para esclarecer, inclusive de Marielle Franco.

– Este é mais um miliciano preso foragido da justiça do Rio e atuando criminosamente no nosso estado com pronta e eficiente atuação de nossa Policia – concluiu.

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *