Polícia Civil deflagra operação contra facções criminosas na Paraíba e descobre cemitério clandestino

A Polícia Civil deflagrou uma operação na manhã desta quarta-feira (1º) contra criminosos investigados por ligação com facções na Paraíba envolvidas com vários crimes, como homicídios, roubos e tráfico de drogas. Os mandados da Operação Cerberus estão sendo cumpridos no bairro de Mandacaru, em João Pessoa, em Cajazeiras e em cidades do Vale do Mamanguape e Brejo da Paraíba, de acordo com o delegado Walter Brandão.

Um cemitério clandestino foi descoberto pela polícia na cidade de Jacaraú. Já foram apreendidas armas de fogo, veículos roubados e drogas até o momento. Além disso, também estão sendo cumpridos mandados de prisão.

Walter Brandão destacou, em entrevista à rádio Arapuan FM, que no “cemitério clandestino foi possível encontrar restos mortais de pessoas que possivelmente estavam desaparecidas na região”. Ele explicou ainda que as investigações da polícia constataram que duas facções criminosas vinham praticando vários crimes na região. Algumas ordens para os crimes estariam partindo diretamente de João Pessoa, de acordo com as investigações.

As investigações, segundo o delegado Walter Brandão, já correm há cerca de oito meses com objetivo de identificar os integrantes da organização criminosa. Desde o início da operação já foram presas mais de 40 pessoas e recuperados mais de 13 veículos roubados. Além disso, mais de quatro quilos de cocaína já foram apreendidos.

“Foi possível verificar a origem dessas ordens de ataques, de roubos. Constatamos que algumas mulheres vinham sendo torturadas por esses elementos por contrariar ordens”, declarou o delegado Walter Brandão. Ele ressaltou ainda que algumas dessas mulheres torturadas sofriam disparos de arma de fogo nas mãos como forma de reprimenda.

Algumas das ordens vinham diretamente da prisão, enquanto que outros elementos recém postos em liberdade voltavam a praticar os crimes.

 

Click PB

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.