Prefeito da PB diz que não se rejeita voto de “rapariga, veado, catimbozeiro e pastor”

O prefeito de Barra de Santa Rosa, Neto Nepomuceno, causou polêmica nesta terça-feira (18) durante entrevista ao Programa Se Liga PB ao afirmar que não nega voto de nenhum eleitor usando termos pejorativos.

“Voto é algo que, você só ganha com voto. O voto tem que vir de rapariga, veado, de homossexual, de maconheiro, de homem de bem, de pastor, de catimbozeiro, de tudo. Eu ando em todo canto, agora tenho minha personalidade, não vou ser distorcido por nada disso. Eu tenho minha religião, eu tenho meu caráter familiar, e tenho meu nome a zelar. Mas, voto a gente tem que agregar”, disse o gestor.

Logo em seguida, uma ouvinte entrou no ar e advertiu o prefeito. “Eu só tenho uma coisa para dizer a esse prefeito. Rapariga também é gente, é um ser humano. Rapariga, veado. Tudo é um ser humano. Uma pessoa normal”, disse a mulher.

O gestor pediu desculpas, mas deixou no ar a insinuação de que uma pessoa criada por uma “rapariga” pode ser “prostituta”.

“Eu falei no sentido na linguagem figurado. Não quis discriminar ninguém. O voto tanto faz ser de um rico, como de um pobre. Quero pedir perdão pela linguagem que usei. Não quis diminuir ninguém aqui. Jamais eu faria isso, eu sei dos meus princípios. Para a senhora [ouvinte] ficar ciente, quem me criou foram duas raparigas e nem assim eu dei para ser prostituto”, finalizou.

MaisPB

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.