Presidente do TRE diz que voto impresso seria um retrocesso e destaca segurança da urna eletrônica

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE/PB), desembargador Joás de Brito, afirmou na tarde desta quarta-feira (19) que a volta do voto impresso representa um retrocesso no processo eleitoral brasileiro. “Não vejo necessidade e continuo confiando na segurança das nossas urnas eletrônicas”, disse o desembargador durante entrevista ao Programa Arapuan Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação.

Joás de Brito afirmou ainda que a volta do voto impresso representará um investimento financeiro muito alto, que chega a bilhões de reais “e isso não é bom principalmente nesse momento em que o país enfrenta uma série crise econômica diante da pandemia da Covid-19”, completou o desembargador.

Ainda sobre a volta do voto impresso, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral disse que existe a questão de problemas técnicos que, segundo ele, podem acontecer com o travamento da impressora. Segundo ele, para resolver esse problema, o sigilo do voto seria “quebrado” com abertura da impressora e com isso a suspeição poderia aumentar ainda mais com relação à lisura e a segurança do processo de votação. “Acredito que a volta do voto impresso seria um complicador e não uma solução com relação à segurança e sigilo do voto”,  finalizou.

 

 

Paraíba.com.br

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *