Projeto da UFPB ensina como se prevenir de infecções respiratórias virais

Projeto da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) ensina como se prevenir de infecções respiratórias virais. A iniciativa, denominada de “Xôcovid19”, também desvenda mitos e curiosidades sobre essas doenças e é realizada na comunidade São Rafael, no bairro do Castelo Branco, em João Pessoa.

“Nos primeiros meses do projeto, com a Covid-19 em alta, salientamos a importância do isolamento e do distanciamento social, do uso das máscaras, da higienização constante das mãos e de itens pessoais”, conta Ana Carolina Dulgheroff, coordenadora do projeto e professora da Escola Técnica de Saúde (ETS) da UFPB.

De acordo com a docente da UFPB, no início da pandemia, muitas moradores tinham dificuldade de entender que essas medidas são algumas das principais maneiras de dificultar o contágio.

Segundo Ana Carolina Dulgheroff, os vírus mais comumente envolvidos nessas infecções são o Influenza, o Vírus Sincicial Respiratório, o Parainfluenza e o Adenovírus. No entanto, de tempos em tempos, suas variantes ou outros vírus respiratórios emergem desencadeando surtos e pandemias.

“Esses vírus são transmitidos através de gotículas, de aerossóis ou do contato direto ou indireto com as partículas virais. Com isso, locais fechados e com uma grande aglomeração de pessoas favorecem a disseminação”, explica a coordenadora do projeto da UFPB.

Ana Carolina Dulgheroff  elucida que, em comunidades, a disseminação é facilitada, considerando que muitas pessoas moram em uma casa pequena e que, às vezes, a população não dispõe de recursos financeiros necessários para adotar todas as medidas de prevenção.

Conforme a professora da UFPB, dentre os vírus respiratórios, somente alguns tipos de Influenza A e B têm uma vacina disponível para ajudar na prevenção da infecção. Portanto, a adoção de hábitos preventivos é essencial para o enfrentamento das doenças causadas por esses vírus.

“O projeto tem como intuito também proporcionar aos alunos da UFPB a integração entre o ensino, a pesquisa e a extensão e contribuir para formação de cidadãos críticos e envolvidos nos processos de mudanças da sociedade”, afirma Ana Carolina Dulgheroff.

Em parceria com o Instituto Voz Popular, que também atua na comunidade São Rafael, a equipe da UFPB, inicialmente, abordou os moradores para distribuir materiais de higiene e limpeza.

Hoje, está realizando reuniões, com todas as medidas de segurança, para esclarecer dúvidas sobre a temática e tentar amenizar o sofrimento psicológico que acomete os moradores.

“Estamos produzindo vários materiais educativos como, por exemplo, cartilhas sobre medidas de prevenção da Covid-19, formas de higienização dos alimentos e dos ambientes e saúde mental”, relata a professora da UFPB.

O projeto da federal paraibana também tem produzido vídeos e jogos educativos. “Enviamos, periodicamente, atividades acerca da temática, para as crianças da comunidade, porque muitas ainda estão sem aula. Produzimos áudios abordando as medidas de prevenção que são compartilhados pela rádio comunitária”, lista Ana Carolina Dulgheroff.

Também coordenada pelo professor João Felipe Bezerra, da Escola Técnica de Saúde (ETS) da UFPB, a iniciativa atua com uma equipe multidisciplinar de professores, estudantes e colaboradores externos. Algumas dicas de prevenção estão disponíveis no perfil do projeto no Instagram.

Assessoria

Assine nosso boletim de notícias

Receba gratuitamente em seu email todas as notícias que acontecem no vale do Piancó, na Paraíba e no mundo, assine já, é grátis, digite seu melhor e-mail no compo abaixo e click no botão Assinar.

Falta pouco

Confirme sua assinatura gratuita seguindos o passo a passo abaixo:

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *