Registro de armas de fogo por civis cresce 300% em um ano

 A flexibilização promovida pelo governo Jair Bolsonaro para que civis tenham acesso facilitado à armas de fogo resultou em uma alta de 300% no registro destes artefatos ao longo do ano passado. De acordo com o jornal O Globo, a Polícia Federal registrou 204,3 mil novas armas de fogo em poder de civis em 2021.

O número de registros já havia crescido nos anos anteriores. Em 2019, foram registradas 94.064 novas armas registradas e em 2020 o volume chegou a 177.782. Ainda conforme a reportagem, o volume licenciado em 2021 corresponde a 13,5% das 1,5 milhão de armas de fogo com registro ativo na Polícia Federal. Em 2021,  das 204,3 mil novas armas registradas, 76% (ou 155,2 mil) foram para cidadãos comuns.

Para Daniel Cerqueira, do Fórum de Segurança Pública, o aumento da circulação de armas de fogo por cidadãos comuns é um risco para a segurança pública. “Há um consenso na literatura científica empírica internacional e nacional de que quanto maior a circulação de armas, mais homicídios, feminicídios, suicídios”, afirma.

Cerqueira foi autor de um estudo que apontou que a cada 1% de armas a mais em uma determinada localidade, a taxa de homicídios cresce 2%.

 

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.