Rosa Weber rejeita recurso de Ricardo e mantém petista inelegível para eleições 2022

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou, nesta sexta-feira (12), o pedido impetrado pelo ex-governador Ricardo Coutinho (PT), que buscava  derrubar a condenação inelegibilidade imposta pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico nas eleições de 2014, quando o petista foi reeleito governador contra Cássio Cunha Lima (PSDB).

A magistrada rejeitou o pedido com base do regimento interno do STF negou seguimento a liminar pela defesa do petista. A notícia foi divulgada hoje pelo jornalista Wallison Bezerra, no programa Hora H, da Rede Mais Rádio.

Há um outro recurso em tramitação no STF, que será julgado pela ministra Cármen Lúcia. Como mostrou o Blog Wallison Bezerra, Ricardo reconheceu que a condenação do TSE poderia prejudicar o registro de sua candidatura ao Senado Federal pelo PT.

“A proximidade das Eleições de 2022 ainda com a pendência de análise das razões constitucionais expostas no recurso demonstra o grave risco de que a discussão a respeito de sua inelegibilidade o prejudique de maneira irreversível, pois haveria potencial indeferimento de seu pedido de registro de candidatura”, dizia a petição.

Apesar da inelegibilidade, o Partido dos Trabalhadores solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o registro de sua candidatura ao Senado Federal. A postulação, no entanto, ainda precisa ser julgada pela Justiça Eleitoral.

 

MaisPB

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.