UEPB cria comissão e canal de denúncias de assédio após aluna delatar professor em evento

UEPB cria comissão e canal de denúncias de assédio após aluna delatar professor em evento

Paraíba
Joaquim
28 de novembro de 2023
28

Após uma estudante denunciar um professor por assédio na Universidade Estadual da Paraíba, a UEPB realizou duas reuniões, nesta segunda-feira (27), para tratar dos casos denunciados e criou uma Comissão Extraordinária para analisar essas denúncias. A universidade também decidiu abrir um canal de denúncias de assédios e LGBT+fobias, que funcionará por tempo determinado, iniciando-se pelo Campus V, em João Pessoa.

Foram realizadas reuniões, hoje, com estudantes e a Procuradoria Geral, Ouvidoria Geral, Comissão Permanente de Inquérito Administrativo (CPIA), Observatório Bríggida Lourenço e integrantes da Administração Central.

Segundo a UEPB, as reuniões foram feitas “para traçar estratégias de enfrentamento a assédios e qualquer ato de violência na Universidade. Para isso, foi criada uma Comissão Extraordinária que terá como objetivo dar celeridade aos casos de denúncia de assédios cometidos na Instituição.”

Confira a nota da UEPB na íntegra:

A Reitoria da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) realizou duas reuniões na manhã desta segunda-feira (27), no Gabinete da Reitora. A primeira ocorreu com a participação de representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE). A segunda foi realizada com a presença da Procuradoria Geral, Ouvidoria Geral, Comissão Permanente de Inquérito Administrativo (CPIA), Observatório Bríggida Lourenço e integrantes da Administração Central para traçar estratégias de enfrentamento a assédios e qualquer ato de violência na Universidade. Para isso, foi criada uma Comissão Extraordinária que terá como objetivo dar celeridade aos casos de denúncia de assédios cometidos na Instituição.

Esta é uma agenda permanente da Gestão da UEPB que tem desenvolvido ações relacionadas à prevenção, como campanhas educativas sobre assédios e a resolutividade dos casos com a garantia das instâncias administrativas, respeitando os ritos legais. Nesse sentido, há uma política institucional em curso.

Devido à gravidade de situações que se tornaram públicas nos últimos dias, o movimento institucional definiu os seguintes pontos:

1) A criação de uma Comissão Extraordinária para dar celeridade aos processos, com representação de discentes, docentes, servidores técnicos administrativos e sindicatos;

2) A criação de uma Equipe Suplementar, composta por membros dos mais diversos Centros de Ensino, para dar suporte à CPIA nos assuntos relativos aos assédios;

3) Criação de um canal específico para acolher denúncias de assédios e LGBT+ fobias, que funcionará por um tempo determinado, iniciando-se pelo Câmpus V, em João Pessoa. Esse canal ficará sob a responsabilidade dessa Comissão Extraordinária.

Foi definido também que, posteriormente, será divulgado no Portal de Transparência da Instituição um relatório dos processos que estão em curso e o status de tramitação correspondente.

 

Click PB

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.