API-PB lamenta morte do jornalista Agnaldo Ameida

API-PB lamenta morte do jornalista Agnaldo Ameida

Paraíba
Joaquim
26 de fevereiro de 2024
32

A associação Paraibana de Imprensa publicou uma nota lamentando a morte do jornalista Agnaldo Almeida aos 73 anos durante a madrugada deste domingo (25) no hospital da Unimed. Na nota a API-PB relembra a carreira do jornalista e destaca sua passagem por veículos como o jornal A União. Leia a nota completa baixo: 

A Associação Paraibana de Imprensa através de sua diretoria e em nome de todos os associados e associadas, lamenta profundamente a morte do jornalista Agnaldo Almeida, 73 anos, ocorrida neste domingo no hospital da Unimed. Agnaldo estava internado há alguns dias, apresentou uma recuperação nos últimos dias, mas veio a óbito neste domingo. 

 Natural de Campina Grande, Agnaldo fez carreira em João Pessoa, com destaque para seu texto irretocável. Passou pelos principais veículos que comunicação do Estado, entre eles os jornais impressos O Norte e Correio da Paraíba, além da revista A Carta e o jornal Estado de São Paulo. Foi diretor de A União, Secretário de Comunicação e presidente da Associação Paraibana de Imprensa.  

 Agnaldo era casado com a também jornalista Naná Garcez, hoje presidente da Empresa Paraibana de Comunicação e deixa cinco filhos e seis netos. A API se solidariza, neste momento de dor e saudade, com todos os familiares, amigos e admiradores de Agnaldo Almeida, um dos maiores nomes do jornalismo paraibano. O velório acontece no cemitério Parque das Acácias das 8h às 17h. 

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.