Crise econômica na Argentina pode barrar propostas polêmicas de Javier Milei

Crise econômica na Argentina pode barrar propostas polêmicas de Javier Milei

Mundo
Joaquim
3 de dezembro de 2023
43

Ao descer do palanque, o novo presidente eleito da Argentina, Javier Milei, se depara com uma grave crise econômica e deve ter grandes dificuldades em torno das alianças políticas que teve que selar na formação do novo governo. Em entrevista à Jovem Pan News, o economista Roger Correia discorda que o fim do Banco Central argentino, proposta encampada por Milei na campanha, deva de fato acontecer: “Algumas medidas um pouco mais radicais ele já percebeu que não vai dar para implementar realmente tudo o que ele quer.

O Banco Central é um regulador de mercado e um regulador da taxa de juros. Não tem como entrar em um país e falar que a partir de amanhã o Banco Central inexiste”. Outra proposta polêmica de Milei passa pela dolarização da economia, promessa feita frente a uma das maiores taxas de inflação do mundo. Em outubro, a inflação acumulada dos últimos 12 meses alcançou 142,7% na Argentina, patamar mais alto desde agosto de 1991.

“O maior fantasma de uma nação é o fantasma chamado inflação. Quando você entra em um supermercado e, no final do dia, o que você comprou de manhã está mais caro, fica muito difícil (…) A medida da  dolarização emergencial é para ‘tirar o paciente da UTI’. É algo que realmente pode ser extremamente eficiente para a economia argentina neste primeiro momento”, explica Correia. No entanto, a dolarização esbarra justamente na ausência de reservas em dólar na Argentina.

EFE/ Ariel Alejandro Carrerasjavier milei (1)

*Com informações do repórter Marcelo Mattos

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.