Delegado diz que homem teria sido morto pelo tráfico após tentar assaltar equipe do SAMU

O homem executado com quatro tiros na cabeça na manhã desse domingo (13), seria o mesmo suspeito de uma tentativa de latrocínio contra uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), no dia anterior. De acordo com o delegado, Paulo Josafá, em contato com o Portal Paraíba.com.br, as investigações apontam que homem teria sido “punido pelo tráfico por esse comportamento. A prática do tráfico é essa, não tem piedade se descumprir ordens dele”, disse.

A primeira ocorrência foi registrada no bairro Novo Geisel, o SAMU fazia um atendimento a uma gestante quando o um indivíduo teria se aproximado da ambulância e conseguiu atingir o motorista no pescoço com uma faca. Quando o motorista se afastou, o suspeito tentou assumir a direção do veículo, mas não conseguiu dar partida. Então ele teria ido até a parte da ambulância onde a grávida estava sendo atendida. As vítimas contaram ao delegado que ele havia dito que faria a limpeza e levaria bolsas e celulares. Uma das enfermeira conseguiu esconder o aparelho.

O motorista saiu correndo e o suspeito o perseguiu, o marido da grávida também tentou ajudar e o homem tomou destino ignorado. Ao retornarem, o motorista não tinha condições de dirigir e o marido da grávida que levou o veículo até a base do Samu.

O delegado explicou que momentos depois da tentativa de latrocínio, o Ciop informou que aconteceu um homicídio nas proximidades do local. “Encontramos o corpo com vários tiros na cabeça e um no braço. A Polícia Militar fez uma busca na mata enquanto investigadores foram para a área urbana à procura de câmeras e depois surgiram informes de que uma das vítimas reconheceu o homem pelas fotos como sendo o mesmo da tentativa de latrocínio”, explicou.

“Encontramos imagens de câmeras de segurança que mostram o momento em que o suspeito sai da viatura correndo atrás do motorista da ambulância”, disse. O suspeito estava sem identificação, mas nesta segunda-feira (14), as autoridades aguardam o exame papiloscópico para identificação criminal. “A delegada Flávia, titular da homicídios, já designou uma equipe para analisar as imagens de câmeras de segurança no local e os investigadores estão trabalhando para elucidar o homicídio. Supostamente ele foi punido pelo tráfico por esse comportamento. A prática do tráfico é essa, não tem piedade se descumpriu as ordens dele”, finalizou.

Marília Domingues

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.