MPT fará plantão sábado e domingo para atender população e receber denúncias de Assédio Eleitoral

Instituição divulgou Portaria e convocou coletiva para informar que unidades do MPT em João Pessoa e Campina Grande estarão abertas das 8h às 17h no próximo fim de semana, para garantir o direito dos trabalhadores de votarem livremente nas eleições do domingo (30). MPT orienta que aqueles que forem vítimas ou presenciarem coação eleitoral denunciem.

O Ministério Público do Trabalho na Paraíba (MPT-PB) anunciou, nesta quarta-feira (26), que fará plantão neste sábado (30) e domingo (30) para atender a população e receber denúncias de Assédio Eleitoral na véspera e no dia do pleito. Uma Portaria (Nº 223/2022) foi publicada hoje (26), informando sobre horários de atendimento do MPT em João Pessoa e Campina Grande no próximo final de semana, que será das 8h às 17h. Até às 14h desta quarta-feira (26), o MPT já havia registrado mais de 60 denúncias de assédio eleitoral na Paraíba contra pelo menos 40 empresas e órgãos públicos, sendo o 1º Estado do Nordeste com mais casos.

O MPT na Paraíba realizou uma Coletiva de Imprensa, na tarde desta quarta-feira (26), no edifício-sede da Instituição, no Centro de João Pessoa, para informar que unidades do MPT na Paraíba e em outros Estados do País estarão abertas no próximo fim de semana, para garantir o direito dos trabalhadores de votarem livremente nas eleições do próximo domingo (30/10). A entrevista foi concedida pela procuradora-chefe do MPT-PB, Andressa Ribeiro Coutinho e pelo procurador do Trabalho Eduardo Varandas Araruna, coordenador Regional na Paraíba da Coordigualdade/MPT.

“O MPT em todo o Brasil estará de plantão no próximo final de semana de forma presencial para atender a toda e qualquer denúncia de assédio eleitoral. O assédio eleitoral é qualquer ato que visa constranger e coagir o trabalhador ou servidor público a mudar de opinião em relação ao voto, ou a votar ou não votar em determinado candidato. Esse ato gera um ilícito trabalhista que é investigado e punido pelo MPT e também pode gerar um ilícito criminal investigado pelo Ministério Público Eleitoral. É muito importante que a sociedade denuncie a prática desse ato, não só a vítima do assédio, mas qualquer pessoa que tenha conhecimento do fato para que nós possamos investigar em tempo hábil e adotar as medidas cabíveis para garantir a lisura do pleito eleitoral”, afirmou a procuradora-chefe do MPT-PB, Andressa Ribeiro Coutinho.

“A Paraíba é o Estado do Nordeste em que o MPT mais recebeu denúncias sobre assédio eleitoral. Essas denúncias estão e continuarão sendo investigadas mesmo após a realização das eleições, porque uma vez praticado o ilícito e devidamente comprovado ele deve ser punido. Então, o MPT vai continuar investigando e apurando os fatos denunciados”, ressaltou a procuradora-chefe.

Wscom

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.