Promotor critica falta de eficiência dos municípios paraibanos para investimentos em educação

Promotor critica falta de eficiência dos municípios paraibanos para investimentos em educação

Paraíba
Joaquim
15 de junho de 2024
30

O promotor de Justiça, Carlos Davi Lopes, que também  coordena o Centro de Apoio Operacional das Curadorias do Patrimônio, do Ministério Público da Paraíba (MPPB) criticou, na tarde desta sexta-feira, (14),  a falta de eficiência no gasto de recursos público pelos municípios da Paraíba  principalmente no que diz respeito a Educação.

Durante entrevista ao Programa Arapuan Verdade, do Sistema Arapuan de Comunicação, Carlos Davi Lopes  enfatizou que o Ministério Público procura fiscalizar toda a cadeia, desde que o dinheiro chega, e todas as ações, tanto as de melhoria do ensino por meio da valorização do corpo docente, quanto as melhoras estruturais.

CGU abre inscrições para concurso de redação e desenho para alunos das redes pública e privada

Ainda durante o programa Arapuan Verdade, o promotor anunciou que o Ministério Público da Paraíba (MPPB), junto com a Controladoria Geral da União (CGU) e Zarinha Centro de Cultura, replicam, anualmente, o concurso nacional da CGU, de desenho e redação para estudantes da rede pública e privada de ensino na Paraíba. A inscrição deve ser feita por meio das escolas até 2 de setembro.

“Utilizamos a base nacional do concurso e fazemos um local com premiação, medalhas, troféus para os vencedores e bolsas de estudos oferecidos pelo Centro de Cultura Zarinha. Nós coletamos as redações da base nacional e, por isso, é importante que o estudante se inscreva por meio da escola no concurso nacional”, explicou.

Esta iniciativa, na Paraíba, rendeu e, segundo o promotor, o estado é primeiro colocado, com mais inscrições do que São Paulo e Rio de Janeiro, ultrapassando em números absolutos, porque toda a rede estadual aderiu.

“O estudo é o fator mais importante porque civiliza, humaniza. Se puder agregar uma pauta ética, cidadã, essa nossa missão vai ser muito maior”, pontuou.

O concurso consiste em fazer uma redação com temática distinta. Atualmente o tema é ‘Cidadania digital – acesso e educação para a democracia’, que está no site da CGU. A inscrição, por meio da escola, é no site da CGU, no link. A inscrição, segundo ele, deve ser feita por meio da escola.

A escola faz a inscrição do aluno até dia 2 de setembro. Tem que encaminhar as redações. A escola seleciona as melhores por categoria, que vai do 5º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio, incluindo também educação de jovens e adultos. Até o 8º ano do fundamental é desenho e, do 9º em diante, redação.

Após enviar o trabalho para a base nacional, vai ser avaliado. A CGU tem sua premiação nacional. Se for um estudante paraibano vencedor da nacional, automaticamente já ganhou a etapa estadual. Em 2022, não houve vencedores da Paraíba. Então, o MPPB pegou aquela base de estudantes da Paraíba, selecionou e trouxe para o estado para que aqueles estudantes que não venceram na nacional não fiquem desestimulados.

“Esses estudantes são premiados e a ação na Paraíba já transformou vidas. Temos histórias de alunos de áreas carentes que foram vencedores e que hoje são monitores em Zarinha. É preciso reconhecer o trabalho social que Zarinha Centro de Cultura presta. Só este ano, vai disponibilizar cinco bolsas integrais do curso de Português e, para o estado da Paraíba, no concurso Redação Nota Mil, vai disponibilizar mais 50 bolsas para estudantes bem classificados”, completou.

 

Portal Paraíba

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.