Servidores do INSS na Paraíba entram em greve por tempo indeterminado

Servidores do INSS na Paraíba entram em greve por tempo indeterminado

Paraíba
Joaquim
11 de julho de 2024
16

Servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na Paraíba anunciaram, nesta quinta-feira (11), que vão entrar em greve por tempo interditado a partir da próxima terça-feira (16). A decisão foi tomada após a realização de duas assembleias (presencial e virtual) comandada pelo Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde, Previdência e Trabalho do Estado da Paraíba (SindsprevPB) com a categoria.

Os trabalhadores do órgão apontam falta de acordo com o governo federal sobre reajuste salarial, entre outros pleitos. A paralização atinge tanto quem trabalha de forma presencial nas agências quanto aqueles que  atuam em home office.

“Foram realizadas três rodadas de negociação entre o Ministério da Gestão e da Inovação (MGI) com os  servidores do Seguro Social, mas o governo não se mostrou disposto a atender as reivindicações da categoria. Por isso, estamos seguindo orientações do movimento nacional pela paralisação dos serviços”, destacou o diretor do Sindicato, Sérgio Fonseca, que faz parte do Comando de Greve, e também servidor do INSS.

Impacto – A expectativa é de que, de acordo com o Sindicato, a paralisação impacte na análise e  concessão de benefícios, como aposentadoria, pensões, salário  maternidade, auxílio reclusão, Benefício de Prestação Continuada (BPC), reabilitação profissional, acerto de cadastro, atendimentos presenciais (exceto perícia médica) e análise da recursos e revisões.

O que também pode ficar comprometido com a paralisação é a operação pente-fino —  que seria feita nos auxílios temporários para garantir a  economia de R$ 26 bilhões em despesas obrigatórias, anunciada pelo ministro da Previdência, Carlos Lupi, na semana passada.

O diretor Sérgio Fonseca informou ainda que o Comando de Greve já foi  formando e está organizando visitas às agências da previdência social na Capital e no interior para conscientizar e mobilizar a categoria para  adesão à paralisação. “Estamos lutando pela valorização do nosso trabalho, mas principalmente por melhores condições para que a população tenha um atendimento de qualidade”, ressaltou.

Reivindicações – Além de um reajuste que não recompõe as perdas salariais e aponta para desvalorização da carreira dos servidores, a  categoria está pleiteando:

– Condições de trabalho para atender mais e melhor a população;
–  Nível superior para o ingresso no cargo de Técnico do Seguro Social;
– Atribuições exclusivas, enquadramento como Carreira Típica de Estado;
– Reestruturação da tabela remuneratória de acordo a NT13 (com Adicional de Qualificação);
– Abertura das Mesas Setoriais com prazo improrrogável (Defesa do teletrabalho, novas regras para o Bônus e pontuação).

 

MaisPB

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.