Polícia Civil apreende cerca de 1000 litros de combustíveis armazenados ilegalmente

A Polícia Civil da Paraíba, a partir do trabalho investigativo da 7ª Delegacia Distrital em Cabedelo, apreendeu na tarde desta quarta-feira, 06, cerca de 1000 litros de combustíveis armazenados de forma inadequada e irregular em uma casa no bairro de Ponta de Mato, em Cabedelo.

O material foi encaminhado para a perícia, mas aparentemente, se trata de três tipos de combustíveis: gasolina, álcool e diesel.

Segundo o delegado Leonardo Souto Maior, a apreensão se deu após uma denúncia anônima, mas o proprietário ou o morador do imóvel não estava no local. “Nós recebemos a denúncia e, de imediato, iniciamos diligências no sentido de verificar sua veracidade. Ao chegarmos ao local, encontramos aproximadamente 50 galões de 20 litros cada um, totalizando uma média de 1000 litros de combustíveis armazenados ilegalmente”, relatou.

Ainda segundo o delegado, um procedimento policial foi iniciado com a instauração de um Inquérito e algumas testemunhas já foram ouvidas. O objetivo é saber a origem do produto e qual o destino onde o mesmo seria comercializado.

“O armazenamento de combustíveis, bem como sua comercialização fora dos locais específicos para isso, como os postos de combustíveis, se configura crime. Uma pessoa não pode guardar nem manusear produtos inflamáveis em galões e muito menos em um imóvel, como encontramos nessa casa em Cabedelo’, concluiu o delegado Leonardo Souto Maior.

O delegado Everaldo Medeiros, Seccional da 3ª DSPC (Delegacia Seccional de Polícia Civil), destacou que os trabalhos realizados pela 7ª Delegacia Distrital de Cabedelo são de fundamental importância para a elucidação desse e de outros crimes na região.“A nossa Seccional tem priorizado os trabalhos da 7ª DD no sentido de operacionalizar investigações qualificadas naquela unidade policial”, ressaltou.

A população pode colaborar com a Polícia Civil fazendo qualquer tipo de denúncia através do número 197 (Disque-Denúncia). A ligação é gratuita e anônima, garantido sigilo absoluto.

 

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.