Um ano após o desaparecimento de Ana Sophia, o caso permanece sem solução

Um ano após o desaparecimento de Ana Sophia, o caso permanece sem solução

Policial
Joaquim
4 de julho de 2024
29

Há um ano, Ana Sophia desapareceu misteriosamente, e até agora não há respostas conclusivas sobre seu paradeiro. O caso ganhou destaque devido à falta de evidências concretas e ao desaparecimento subsequente do principal suspeito.

Ana Sophia sumiu em 4 de julho de 2023, no Distrito de Roma, em Bananeiras. Naquele dia, ela havia saído de casa para brincar na residência de uma amiga próxima. Imagens de câmeras de segurança mostraram todos os seus passos de retorno, incluindo uma parada em um mercadinho e sua entrada na casa de Tiago Fontes, marido da vice-diretora da escola onde Ana Sophia estudava. Desde então, Tiago tornou-se o principal suspeito.

O caso ganhou novos contornos quando Tiago desapareceu antes de prestar depoimento oficial, em 11 de setembro de 2023. As investigações avançaram, e a polícia realizou buscas na casa da professora, esposa de Tiago. Durante as buscas, houve um estouro controlado de um açude, para investigar se Ana Sophia teria se afogado.

Na residência de Tiago, foram encontrados livros sobre serial killers, aumentando as suspeitas. Em 14 de setembro, a vice-diretora da escola foi afastada de suas funções. No dia 21 do mesmo mês, foi decretada a prisão temporária de Tiago.

A tragédia tomou um novo rumo em 10 de novembro de 2023, quando um corpo em decomposição foi encontrado e, posteriormente, confirmado como sendo de Tiago. Em uma coletiva de imprensa em 14 de novembro, a polícia descreveu o possível horário da morte de Ana Sophia e revelou que Tiago havia realizado pesquisas sobre decomposição de corpos e crimes semelhantes.

Apesar de todos os esforços, o corpo de Ana Sophia ainda não foi encontrado, deixando um mistério doloroso e sem solução para a família e a comunidade.

 

Blog do Jordan Bezerra 

Com informações de Notícia Paraíba

Joaquim Franklin

Joaquim Franklin

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

You May Also Like!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.